terça-feira, agosto 16, 2022
InícioAmazonas“Vamos poder criar os filhos da gente num lugar melhor”, comemora moradora...

“Vamos poder criar os filhos da gente num lugar melhor”, comemora moradora da Comunidade da Sharp beneficiada pelo Prosamin+

Neste primeiro momento, 276 famílias passarão pelo processo de desapropriação e reassentamento.

Alagações, ausência de saneamento básico e o risco de contaminação por doenças são problemas comuns a quem vive em regiões insalubres. Na comunidade da Sharp, na zona leste de Manaus, as famílias que residem nas palafitas sob o igarapé começam a se preparar para deixar essa realidade, com a chegada do Programa a Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus e Interior (Prosamin+).

Esse é o caso da manicure Micaela Barbosa, 32, que está entre os primeiros 276 beneficiados pelo programa estadual. Moradora do local há 22 anos, ela é mãe de seis filhos e conta que, pelas condições de sua residência, três crianças tiveram que passar a viver com o pai.

“Quando chove não dá para passar, não dá para sair. As crianças não conseguem ir para aula, é muito difícil. Por isso alguns moram com o pai e não comigo. Já teve criança que caiu, se machucou, não tem condições. Não é só eu que passo por isso, são muitas mães”, explicou.

Entre os filhos de Micaela está o pequeno Noah, de apenas dois meses de vida. Durante a gravidez, a criança sofreu descolamento de placenta e acabou nascendo prematuramente. Neste momento, o bebê se encontra internado na UTI da Maternidade Ana Braga, lutando para sobreviver. As idas para visitar o filho na unidade de saúde são diárias, o que torna a rotina da manicure cada vez mais difícil pela região alagada.

“Foi uma gravidez difícil, um parto muito delicado. Muitas vezes eu não conseguia nem fazer pré-natal porque eu sangrava. Meu filho nasceu, não chorou, foi direto para incubadora e desde então minha rotina é essa, todo dia eu vou visitá-lo e eu creio que logo ele vai sair e, o melhor, ir direto para uma casa melhor”.

Com os documentos entregues para as equipes da Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE), responsável pelo programa, pontapé inicial do processo de desapropriação, o sonho de ter um local seguro para criar as crianças está cada vez mais perto de se tornar realidade.

“Há muito tempo as pessoas esperam Prosamin e agora, graças a Deus, está acontecendo. Eu fico muito feliz, sempre me pegava pensando ‘meu filho está na UTI, são tantos cuidados com crianças prematuras, não quero que ele venha para cá’ e agora a gente realmente vai poder sair daqui, vamos poder criar os filhos da gente num lugar melhor. É um sonho que se realiza”, comemorou Micaela.

Ao longo de sua execução, cujo prazo é de cinco anos, o Prosamin+ irá reassentar 2.580 famílias, proporcionando soluções de moradia entre indenizações, bônus, auxílio ou acesso a uma unidade habitacional construída pelo programa.

A UGPE esclarece que os imóveis aptos ao processo foram cadastrados, marcados e certificados em 2020, entre os meses de março e setembro. Quem chegou depois não poderá ser incluído.

ARTIGOS RELACIONADOS
spot_img

MAIS populares