Servidor Público é preso em flagrante por armazenar pornografia infantil

A Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca) prendeu em flagrante, nesta quinta-feira (22/10), por volta das 15h, um servidor público de 44 anos, pelo crime de armazenamento de conteúdo pornográfico infantil. O material estava sendo baixado e assistido em seu local de trabalho, uma policlínica na zona sul da capital.

Em coletiva de imprensa realizada nas dependências da Depca nesta sexta-feira (23/10), às 11h, a delegada Joyce Coelho, titular da Especializada, informou que a equipe de investigação havia recebido, naquela tarde, denúncia anônima via disque-denúncia da delegacia, informando que um servidor da unidade de saúde estaria acessando e baixando mídia pornográfica infantil no computador da instituição. Com isso, as equipes policiais se dirigiram ao local delatado para averiguar a situação.

Ao chegarem à policlínica, o setor de informática do prédio encaminhou a equipe policial ao local em que o servidor responsável pelo computador estava, o almoxarifado. Na busca, as autoridades encontraram um pen drive conectado no computador e, armazenado nele, havia mais de 1.500 arquivos, entre eles fotos e vídeos pornográficos.

A autoridade contou que o homem inicialmente negou ser proprietário do objeto, mas também foram encontradas fotos de documentos pessoais pertencentes a ele. Antes de ser encaminhado à delegacia, a equipe policial se deslocou até a casa dele, no bairro Cachoeirinha, zona sul da capital, e lá apreenderam também um notebook que estava na residência.

“Além de ser decretada a prisão em flagrante, foram apreendidos o pen drive, o HD do computador do trabalho, o celular pessoal e o notebook do indivíduo. Todos passarão por perícia. O conteúdo baixado aparenta ser de sites estrangeiros. Ainda não foi identificada nenhuma vítima e, como as investigações estão iniciando, não se pode afirmar que o homem cometeu algum outro crime”, detalhou a titular.

Posicionamento – A Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) informa que será aberto um processo de sindicância para apurar os fatos.

A secretaria reforça que não compactua com esse tipo de comportamento criminoso, tendo sido à denúncia realizada pela unidade ao tomar conhecimento da situação.

A SES-AM reforça, ainda, que está dando todo apoio à Polícia Civil na investigação do caso.

Procedimentos – O servidor foi preso em flagrante pelo crime de armazenamento de conteúdo pornográfico infantil. Como o delito é afiançável, a Especializada estipulou o valor de fiança referente a sete salários mínimos. Caso não seja paga, ele será encaminhado para a Central de Recebimento e Triagem (CRT) onde ficará à disposição da Justiça.

FOTO: Alailson Santos/PC-AM

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar