Prefeitura volta a fechar Praia da Ponta Negra e amplia atendimento para Covid-19

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, ampliou para 18 o número de Unidades Básicas de Saúde (UBSs) preferenciais para atendimento de casos suspeitos de Covid-19 e Síndromes Respiratórias, aumentando a rede de assistência básica para combate e controle da doença, e determinou fiscalização mais rigorosa pela Vigilância Sanitária no cumprimento das medidas protetivas. O anúncio foi feito em coletiva de imprensa nesta sexta-feira, 18/9, quando também foi assinado um novo decreto de Situação de Emergência e o fechamento da praia do Complexo Turístico Ponta Negra, zona Oeste.

“Os dados que temos em mãos não garantem que haverá uma segunda onda, mas são muito preocupantes. A Organização Mundial de Saúde previu uma segunda onda e nós seguimos a OMS, porque seguimos a ciência e não o empirismo”, afirmou o prefeito, ao apresentar um balanço dos indicadores que mostram o crescimento da doença em Manaus. “Estamos aumentando para 18 o número de UBSs preferenciais e aumentando a rede de cobertura básica”, reforçou. “Temos que agir o quanto antes, temos de nos antecipar para garantir os resultados positivos, com mais gente atendida, mais gente testada”, disse Virgílio.

Arthur explicou, ainda, as outras medidas adotadas. “Eu editei um novo decreto de emergência, decretei o fechamento da praia da Ponta Negra, pelo bem da saúde e da vida. Estou determinando maior rigor na fiscalização das medidas preventivas. Temos uma população sequestrada por aqueles que não cumprem a regra. Elas não abrem mão da sua liberdade e mantêm o restante da população privada de sua liberdade, nos mantêm sequestrados”, disse Arthur.

O prefeito avaliou que a responsabilidade é de pessoas e de governo. “A culpa é dessas pessoas, mas também é de quem viu na abertura das regras a possibilidade de retomada do crescimento econômico. O que vemos são pessoas perdendo a vida ou sequestradas em suas casas. Um complexo de erros de pessoas e de governo e que está custando muito caro para nossa cidade e para a nação”, defendeu.

Segundo Arthur Neto, a intenção é adotar medidas mais rigorosas, proibindo aglomeração em balneários e raves que, na opinião dele, estão sendo responsáveis pelo aumento nos casos da doença. “Gostaria de decretar a proibição dessas festas, mas tenho que ter certeza que contarei com o apoio do Estado”, comentou o prefeito.

O titular da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), Marcelo Magaldi, avaliou como altamente necessário o aumento da fiscalização da Vigilância Sanitária. “Não há sistema de saúde que resista com tanta gente se aglomerando e descumprindo as regras. Muitas festas, bares, muita aglomeração e isso tem provocado o aumento de demanda e pode provocar uma segunda onda do vírus. Esperamos não voltar ao abril negro. O inimigo é mortal, invisível e todos nós precisamos fazer nossa parte: evitar aglomeração, usar os equipamentos de proteção”, concluiu.

 

Números crescentes

Embora ainda não seja possível falar em “segunda onda” da pandemia, a Vigilância Epidemiológica do município registrou aumento na demanda espontânea de casos suspeitos de Covid-19 nas UBS preferenciais. Houve também a confirmação de 4.158 casos novos só entre os dias 1º e 17 de setembro. O Serviço Móvel de Urgência e Emergência (SAMU 192 Manaus) também vem registrando aumento nas ocorrências. Só no dia 17 de setembro, dos 155 chamados, 14 foram casos de Covid-19, o equivalente a quase 10% das chamadas. A Fundação de Vigilância em Saúde no Amazonas (FVS-AM) também indica um aumento 6% de ocupação das UTI e 20% dos leitos clínicos da rede pública e de 10% nos leitos de UTIs e 30% nos leitos clínicos da rede privada.

 

Investimentos

Desde o início da pandemia em Manaus, a prefeitura contratou 723 profissionais entre enfermeiros, técnicos em enfermagem, técnicos em necropsia, técnicos em patologia, médicos clínico geral, médicos patologistas, fisioterapeutas e 90 bolsistas. No total, dos 276 profissionais que atuaram no hospital de campanha, hoje, 193 estão lotados nas UBSs. Mais 30 bolsistas serão chamados a partir de segunda-feira, 21/9, número que pode ser ampliado de acordo com a necessidade. Além disso, tomarão posse no dia 1º de outubro, seis Agentes Indígenas de Saúde que atuarão no atendimento às comunidades indígenas urbanas com sintomas da doença.

“Manaus é a cidade que mais cresceu em cobertura básica de saúde e, mesmo na pandemia, crescemos para 64,1% de cobertura, que com os 25% dos planos privados, alcança 90% de cobertura”, afirmou o prefeito. Esse é o melhor resultado desde dezembro de 2008, quando foi implantado o indicador. De acordo com o prefeito, esse resultado deve muito à implantação da Escola Pública de Saúde (Esap).

UBSs preferenciais

Os horários de atendimento seguirão a rotina da UBSs de horário ampliado – de segunda a sexta-feira, das 7h às 21h. Aos sábados, das 8h às 12h. A Clínica da Família Carmen Nicolau funcionará de segunda a sexta, das 7h às 19h e sábados, domingos e feriados das 8h às 18h. Nos locais, são realizados acolhimento, consultas, testagem rápida e dispensação de medicamentos. Se o quadro demandar, o paciente é encaminhado aos serviços hospitalares.

Distrito Leste

– UBS ALFREDO CAMPOS – rua André Araújo, s/nº – Zumbi 2

– UBS DR. JOSÉ AMAZONAS PALHANO – rua Antônio Matias, São José 2

– UBS MARIA LEONOR BRILHANTE – avenida Autaz Mirim, Tancredo Neves

Distrito Norte

– UBS AUGIAS GADELHA – rua A, nº 15 – Cidade Nova 1

– UBS BALBINA MESTRINHO – rua 17, nº 170 – Cidade Nova

– UBS MAJOR SÁLVIO BELOTA – rua das Samambaias, nº 786 – Santa Etelvina

Distrito Sul

– UBS JOSÉ RAYOL DOS SANTOS – avenida Constantino Nery, Chapada

– UBS MORRO DA LIBERDADE – rua São Benedito, Morro da Liberdade

Distrito Oeste

– UBS DEODATO DE MIRANDA LEÃO – avenida Presidente Dutra, Glória

– UBS LEONOR DE FREITAS – avenida Brasil, s/nº – Compensa 2

CLÍNICA DA FAMÍLIA CARMEN NICOLAU – rua Santa Tereza D’ávila, Lago Azul

Novas UBS Preferenciais seguirão o horário de 7h às 19h, de segunda a sexta-feira, em dias úteis.

Zona Norte: UBS Arthur Virgílio

Zona Sul: UBS Dr. Luiz Montenegro, UBS Theomário Pinto e Theodomiro Garrido

Zona Leste: UBS Ivone Lima e UBS Gebes de Medeiros

Zona Oeste: UBS Santos Dumont

— — —

Texto – Jacira Oliveira / Semcom e Assessoria Semsa

Fotos – Divulgação Semcom

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar