“Manaus precisa de alguém que saiba administrar e tenha vigor” diz Alfredo Nascimento

Mesmo sem confirmar sua pré-candidatura para prefeito de Manaus, o presidente de honra do PL Nacional e do PL no Amazonas, Alfredo Nascimento, segue cumprindo uma extensa agenda de reuniões em diversos bairros por todas as zonas da cidade. Durante os encontros, é inevitável relembrar suas inúmeras realizações como prefeito por dois mandatos, de 1997 a 2004.

Na noite desta quinta-feira, 3, esteve na comunidade rural Ismael Aziz, no bairro de Santa Etelvina, zona Norte. Ele reuniu com moradores, ouviu suas demandas e falou do quanto é preparado para assumir a responsabilidade de governar novamente Manaus, uma vez que por duas ocasiões consecutivas foi eleito o melhor prefeito do Brasil.
Segundo ele, a capital amazonense precisa de um prefeito que saiba administrar e tenha vigor para isso.

Na ocasião, citou alguns de seus programas que marcaram sua administração como o Médico da Família – com as conhecidas Casinhas da Saúde onde os médicos faziam visitas domiciliares, Mãe Social, a criação dos terminais de integração T3, T4 e T5, o corredor exclusivo de ônibus e outras obras na área de mobilidade urbana, como o viaduto Dom Jackson Damasceno (Constantino Nery com Boulevard) e a passagem de nível no cruzamento da Djalma Batista com a Darcy Vargas.

Ao ser indagado sobra sua candidatura respondeu que foi um prefeito conhecido por estar diariamente nas ruas, nos bairros e comunidades, e que vem fazendo isso para entender as necessidades da população.

“Isso mexe com meu coração, porque quando era prefeito fui reconhecido nacionalmente como o melhor do país. Eu gosto de estar perto do povo e ver os problemas para junto com a comunidade encontrar as soluções. É preciso experiência e vigor para continuar um trabalho de estrutura que foi feito na cidade de Manaus, que está equilibrada e não pode cair em mãos erradas”, explicou Alfredo Nascimento.

No encontro, moradores do Santa Etelvina falaram o quanto Alfredo foi importante para a comunidade e como a localidade ganhou infraestrutura durante sua gestão.

“Nós vivíamos uma guerra judicial com uma imobiliária que nos vendeu lotes, do conjunto chamado Jardim Fortaleza, mas nunca fez a parte de infraestrutura. As ruas eram de terra e o Alfredo entendeu nossa necessidade e determinou que as máquinas entrassem no bairro e urbanizassem. Esperamos que volte porque ele era um prefeito atuante e estava sempre perto da comunidade. Nós precisamos de alguém que esteja próximo e caminhe com o povo”, relatou a moradora do Santa Etelvina, Suely Oliveira.

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar