Governo do Amazonas anuncia data de retorno das aulas presenciais na rede pública estadual

Data foi definida após aval dos órgãos de saúde e elaboração de Plano de Retorno às Atividades Presenciais

Dez de agosto é a data definida pelo Governo do Amazonas para o retorno das aulas presenciais na rede pública estadual de ensino, em Manaus. O governador Wilson Lima faz o anúncio nesta terça-feira (28/07), no Centro Educacional de Tempo Integral (Ceti) Elisa Bessa Freire, no bairro Jorge Teixeira. A escola foi totalmente adaptada dentro dos protocolos de saúde que vão nortear o funcionamento das instituições de ensino a partir do retorno das atividades.

A retomada das aulas tem o aval da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), que acompanha os dados do novo coronavírus (Covid-19) no estado. Para que o regresso seja o mais seguro possível, a Secretaria de Estado de Educação e Desporto construiu um Plano de Retorno às Atividades Presenciais, que reúne as medidas direcionadas a cada setor da comunidade escolar. O documento está disponível no site oficial da secretaria: www.educacao.am.gov.br

A volta às salas de aula será de maneira gradativa e híbrida. Os primeiros a retornarem – no dia 10 de agosto – são os estudantes do Ensino Médio regular e da modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJA). Dia 24 de agosto, retornam os alunos do Ensino Fundamental (anos iniciais e finais).

*Investimento* – Para o retorno das aulas presenciais, o Governo do Estado está investindo mais de R$ 10 milhões na aquisição de materiais e insumos para a proteção, prevenção e combate à disseminação do vírus no ambiente escolar.

Desse recurso, cerca de R$ 8,5 milhões estão sendo destinados para aquisição de 1 milhão de máscaras de pano, EPIs, álcool em gel 70% e tapetes sanitizantes, dentre outros itens.

Mais de R$ 1,3 milhão está destinado à adequação da infraestrutura nas escolas da rede estadual, com a instalação de pias e ajustes das instalações hidráulicas.

*Retorno híbrido e escalonado* – Todas as turmas serão divididas em blocos A e B, frequentando as escolas de maneira intercalada. Às segundas e quartas-feiras, o bloco A assiste às aulas presenciais e, às terças e quintas-feiras, será a vez do bloco B conferir as atividades presenciais. As sextas-feiras serão destinadas aos professores, que realizarão o seu planejamento de conteúdos.

Nos dias em que os estudantes estiverem em casa, eles deverão acompanhar os conteúdos por meio do projeto “Aula em Casa”, que terá a sua programação adaptada.

O projeto terá continuidade e pode ser acompanhado pelos canais da TV Encontro das Águas (2.1, 2.2, 2.3 e 2.4) e pela Internet, por meio do YouTube, Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), plataforma Saber+ e aplicativo Aula em Casa.

*Medidas* – Algumas das medidas de segurança em saúde determinadas no Plano de Retorno às Atividades Presenciais são: distribuição e uso obrigatório de máscaras a todos os profissionais e estudantes; reforço nas práticas de higiene pessoal, como lavagem correta das mãos nas pias instaladas nos ambientes comuns; distanciamento de, pelo menos, 1,5 metro entre as pessoas, tanto na sala de aula como nos corredores e refeitórios; e limpeza constante das superfícies para evitar a proliferação do vírus.

O documento prevê que os protocolos sejam seguidos por toda a comunidade escolar, além de apresentar, também, medidas pedagógicas que serão iniciadas com foco na redução dos prejuízos da pandemia.

O Plano de Retorno começou a ser elaborado pela Secretaria de Educação ainda no mês de abril, logo após a suspensão das aulas presenciais da rede.

Para a sua criação, a pasta tomou como base as diretrizes do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed); experiências internacionais; recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS); e orientações de órgãos educacionais do Brasil e do mundo, como é o caso do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID); Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco); World Bank Group; e do movimento nacional “Todos pela Educação”.

*Formações* – Professores, pedagogos, gestores e pessoal administrativo terão formações voltadas para o período de retorno às aulas presenciais e sobre como proceder nesta nova realidade.

Em sua maioria, os cursos são voltados para a saúde mental e pública, gerenciamento de protocolos pós-pandemia, gestão administrativa e pedagógica e as relações interpessoais, que agora exigem mais tato, devido às novas experiências vividas durante a pandemia.

Os cursos foram votados pelo próprio público, em pesquisa online realizada pela Secretaria de Educação, no mês de junho. Nos questionários – foram quatro, no total -, servidores administrativos, professores, pedagogos e gestores puderam optar por uma ou mais formações que lhes interessasse. A partir da tabulação de dados, os cursos foram definidos pela pasta.

*Medidas pedagógicas* – Para o retorno às aulas presenciais, foi necessária, ainda, a elaboração de uma série de produtos pedagógicos, cujo objetivo principal é garantir a aprendizagem do aluno e minimizar os danos da pandemia.

Nesse sentido, a Secretaria de Educação promoveu ações que vão desde a readequação do calendário escolar, a avaliação de aprendizagem do ensino remoto e formação dos profissionais de Educação, até políticas de combate ao abandono escolar.

Todos esses produtos constam no Plano de Retorno às Atividades Presenciais.

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar