Pessoas em situação de rua são inseridas no CadÚnico

A Prefeitura de Manaus deu início nesta segunda-feira, 22/6, ao atendimento para cadastro e atualização de dados de pessoas em situação de rua no Cadastro Único (CadÚnico), porta de entrada para benefícios socioassistenciais, como o Bolsa Família. O atendimento de início acontece preferencialmente aos acolhidos no abrigo emergencial instalado no Centro de Educação de Tempo Integral (Ceti) Áurea Pinheiro Braga, Compensa, zona Oeste.

As mais de cem pessoas que utilizam o acolhimento durante a pandemia poderão ser inseridas ou ter o CadÚnico atualizado apresentando apenas um documento, diferentemente do procedimento normal, quando uma série de documentos são necessários, facilitando assim a inclusão das pessoas no cadastro.

Ao menos 20 pessoas serão atendidas por dia, dez pela manhã e as outras dez a tarde. A importância do atendimento é destacado pela diretora do Departamento de Proteção Social Básica (DPSB), da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc),Lenise Trindade. Ainda de acordo com ela, o atendimento tem seguido as normas de prevenção e segurança contra o coronavírus.

“Hoje iniciamos o atendimento de uma forma organizada para averiguar quem já tem Cadastro Único, quem não tem e quem precisa atualizar. Essa ação tem como objetivo garantir que essas pessoas tenham o Cadastro Único e com isso o acesso aos programas, projetos e benefícios provenientes do cadastro”, informa.

Atendimentos

Fazendo uso há dois meses do serviço de acolhimento, Paula Flores, 38, é mãe de sete filhos e fez a atualização do CadÚnico para ter acesso ao Bolsa Família. “Eu vejo como uma boa oportunidade para quem quer recomeçar. Eu só tenho a agradecer porque está me ajudando muito, esse é um auxílio que eu preciso, como eu estou desempregada, isso vai me ajudar a pagar um aluguel para eu não estar na rua com meus filhos”, declara.

Ela também destaca o atendimento prestado a ela e aos filhos, no abrigo emergencial Ceti Áurea Braga. “Muito bem atendida, não tenho nada a me queixar. Todos atendem bem, a mim e a meus filhos, não passei mais necessidade como fome, frio e temos um lugar pra dormir. Todo dia temos o café, almoço, lanche e jantar, somos muito bem atendidos”, elogia.

Há oito meses em Manaus, o motorista Jaime Martins, 59, veio do Acre a trabalho e resolveu ficar na cidade para fixar raízes, porém a pandemia impediu seu progresso, colocando-o em situação de rua. Agora ele será inserido no CadÚnico para ter acesso a programas sociais.

“Quando eu cheguei em Manaus estava tudo bem, tudo ótimo. Aí veio a pandemia e fiquei desempregado, mas para não ficar na rua procurei o abrigo. O cadastro para mim vai ser ótimo. Vou conseguir retirar alguns documentos que foram roubados e então procurar emprego”, explica.

— — —

Texto – Fábio Leite / Semasc

Fotos – Leonardo Leão / Semasc

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar