Sindicato adverte feirante que desafiou vírus em reportagem

O Sindicato do Comércio Varejista dos Feirantes de Manaus divulgou nota oficial criticando a declaração dada por um membro da categoria ao repórter Roberto Cabrini, do SBT, dizendo que trabalhava sem máscara porque não temia a contaminação pelo novo coronavírus (Covid-19). A entrevista foi realizada na Feira da Betânia, na zona Sul da capital, e repercutiu em todo o país. E entidade pede inclusive que a Prefeitura de Manaus casse a permissão dele para atuar na feira.

Temendo a fuga de clientes, o Sindicato divulgou a seguinte nota:

“O SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DOS FEIRANTES DE MANAUS vem a público informar a sua posição diante da participação de um feirante no programa “Conexão Repórter” exibido nesta segunda, 27 de Abril, pelo SBT.
Em primeiro lugar, não irá se furtar diante dos fatos e tomará todas as medidas cabíveis em relação ao acontecido, para que de nenhum modo a infeliz “opinião” manifestada por um único indivíduo, venha denegrir e ofender a imagem dos feirantes de Manaus, que sob orientação de autoridades em Saúde, seguem estritamente as recomendações da OMS, de modo que têm prestado o serviço, com os cuidados preventivos necessários para proteção própria e dos consumidores.

Referente às respostas dadas ao respeitável jornalista Roberto Cabrini, no episódio de entrevista ao indivíduo que já foi identificado e que atua na Feira da Betânia, gostaríamos de deixar a nossa indignação com a atitude que coloca em cheque o profissionalismo do indivíduo, já que o seu posicionamento de não utilizar máscaras e demais equipamentos de proteção individual, não é mera opinião, pois flagrantemente evidencia a infeliz atitude de não prezar pelas medidas que visam impedir a disseminação do novo “Coronavírus” na sociedade, de modo que já foram tomadas as providências junto à prefeitura para suspensão de seu alvará de permissionário, vez que decidiu expor a si mesmo e aos outros aos riscos de contágio. É importante que se destaque que a opinião do indivíduo, não representa nem mesmo a dos demais trabalhadores da Feira em que atua.

O SINDICATO, manifestando a opinião da MAIORIA ABSOLUTA DA CATEGORIA, repudia a infeliz atitude. Afinal, aquele único feirante não representa milhares de trabalhadores, que dependem deste ofício para alimentar suas famílias, e que somente têm mantido a atividade por se tratar de serviço essencial. Outro posicionamento que nos deixa triste é o da produção do programa de televisão que levou ao grande público brasileiro a exibição das declarações irresponsáveis deste indivíduo, sem o devido contrário de uma maioria de feirantes que dele discorda, representadas pelo seu SINDICATO. Motivo desta nota, e da solicitação que se faz de que a mesma seja lida integralmente por toda a imprensa, para que em todo o país, se tenha clareza dos fatos.
O SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DOS FEIRANTES DE MANAUS apoia o bom jornalismo e reconhece que a situação da cidade deve ser exibida a todo o país, para que as demais tomem as precauções necessárias, visando impedir que se chegue a situação semelhante ou pior. E pede apenas que seja publicada também a informação do pensamento coletivo dos feirantes da cidade, reitera a sua posição de zelar pelo bem estar e pela saúde dos trabalhadores e de toda a sociedade manauara, de modo que reafirma a posição de que sejam seguidas todas as recomendações da ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE, até que seja superada a pandemia do “covid-19”.
Manaus, 28 de Abril de 2020.
DAVID LIMA DA SILVA
Presidente”

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar