171 recuperados: Amazonas registra 1.484 casos de Covid-19 e 19 óbitos em 24 horas

Médicos e enfermeiros enviados pelo Ministério da Saúde começam a atuar no estado a partir de quinta-feira (16/04)
A Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM) registrou mais 209 casos do novo coronavírus (Covid-19) no balanço divulgado nesta terça-feira (14/04), totalizando 1.484 casos no Amazonas. Nas últimas 24 horas, mais 19 óbitos que estavam em investigação foram confirmados tendo coronavírus como causa, elevando para 90 o número de mortes.

Em entrevista on-line, a secretária de Saúde do Amazonas, Simone Papaiz, informou que, ainda nesta semana, na próxima quinta-feira (16/04), o estado receberá reforço de cinco médicos e dez enfermeiros, que serão enviados pelo Ministério da Saúde para ampliar a capacidade de enfrentamento à pandemia.

A diretora-presidente da FVS, Rosemary Pinto, que também participou da entrevista transmitida nas redes sociais do Governo do Amazonas, enfatizou que os profissionais de saúde e segurança que apresentarem sintomas de Covid-19 passarão por triagem e farão testes de forma agendada.

Casos confirmados – Do total de casos de Covid-19 no Amazonas, 1.295 são na capital e 189 no interior do estado. Entre esta segunda-feira (13/04) e hoje (14/04), outros dois municípios tiveram casos confirmados: Lábrea e Anamã. Agora, além da capital, 18 municípios do interior apresentam casos do novo coronavírus.

O maior número de casos está em Manacapuru (100), em seguida Itacoatiara (15), Iranduba (14), Parintins (11), Santo Antônio do Içá (10), São Paulo de Olivença (9), Tonantins (8), Presidente Figueiredo (6), Tabatinga (3), Anori (3), Careiro da Várzea (2), Lábrea (2). Outros seis municípios têm um caso cada: Anamã, Boca do Acre, Careiro Castanho, Manicoré, Novo Airão e Tefé.

Isolamento e internação – Atualmente, há 1.074 pessoas com diagnóstico positivo para Covid-19 que estão se recuperando em isolamento social, o que representa 72,37% do total.

Entre os casos positivos do novo coronavírus, há 149 internados, sendo 79 em leitos clínicos e 70 em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) da rede pública (39) e da rede privada (31).

Há, ainda, outros 537 pacientes suspeitos internados, que aguardam a confirmação do diagnóstico. Desses, 417 estão em leitos clínicos (151 na rede privada e 266 na rede pública); e 120 estão em UTI (50 na rede privada e 70 na rede pública).

De acordo com a diretora-presidente da FVS, 590 pacientes que apresentaram quadro clínico compatível com a doença fizeram o teste e aguardam o resultado do Laboratório Central de Saúde Pública do Amazonas (Lacen).

O número de pacientes recuperados, que estão fora do período de transmissão do vírus, subiu para 171.

Reforço médico – A titular da Susam, Simone Papaiz, frisou que o Amazonas é o primeiro estado a receber apoio do Governo Federal por meio do programa Conte Comigo. “Foi mais um apoio do Ministério da Saúde. Eles têm nos apoiado diariamente, feito contato, buscando nos ajudar da melhor forma possível. Estão chegando ao estado cinco médicos e dez enfermeiros. Eles ficarão do dia 16 ao dia 24 (de abril), não ficarão de quarentena porque esses profissionais já vêm testados”, ressaltou a secretária.

Ela destacou que as equipes devem atuar nas unidades de alta complexidade de referência. “Eles ficam por períodos, uma equipe vem, fica, vai embora e, em seguida, o Ministério da Saúde já envia uma outra equipe. A ideia é que eles atendam nas unidades de porta aberta com alta complexidade, principalmente em hospitais que têm maior índice de chegada de pacientes com quadro de corona”, afirmou Simone Papaiz.

Saúde e Segurança – A diretora-presidente da FVS, Rosemary Pinto enfatizou a preocupação do estado com os profissionais de saúde e de segurança pública, que estão na linha de frente e mais expostos à contaminação pelo vírus. Todos aqueles que estiverem sintomáticos, a partir do oitavo dia, passarão por triagem e farão testes rápidos, de maneira agendada, para agilizar o diagnóstico.
“Começamos uma articulação no sentido de definir um local específico para fazer as triagens desses profissionais, com testes rápidos. Temos uma negociação com a Secretaria de Segurança Pública e com o comandante da Polícia Militar, no sentido de oferecer um local adequado para a triagem dos militares”, disse Rosemary.

De acordo com ela, o local para realizar triagem e testes em profissionais de saúde já está definido.

“Entramos numa parceria com a Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e montamos um Centro de Triagem lá na Escola de Enfermagem, que vai ser específico para os profissionais de saúde. Desenvolvemos, em tempo recorde, a capacitação para os profissionais que vão realizar essa atividade, que são alunos finalistas e professores dos cursos de Farmácia e Enfermagem. A Susam já proveu o aporte necessário de EPIs e a FVS vai coordenar esse Centro de Triagem”, detalhou a diretora-presidente da FVS.

Rosemary informou que a triagem e os testes serão agendados por meio de um aplicativo exclusivo será disponibilizado aos profissionais de saúde que apresentarem sintomas de Covid-19.

“Todo profissional de saúde que desenvolver sintomas vai, mediante esse aplicativo, informar seus dados, informar os seus sintomas e ter um agendamento para o oitavo dia de sintoma. Ele já fica pré-agendado para fazer o seu teste, lá na Escola de Enfermagem. O aplicativo vai estar no site da FVS, para que todos os profissionais da saúde baixem e possam entrar em monitoramento”, acrescentou Rosemary Pinto.

Óbitos – Mais 19 mortes por Covid-19, todas de pacientes de Manaus, foram confirmadas pela FVS, totalizando 90 óbitos no Amazonas.

As 19 mortes ocorreram entre os dias 5 e 14 de abril. Deste total, 12 eram homens. Oito deles, com idades entre 55 e 87 anos, não apresentavam comorbidades.

Os quatro que apresentavam doenças associadas eram: um homem de 51 anos que tinha obesidade; outro de 74 anos, portador de doença cardiovascular; outro homem de 69 anos, que tinha hipertensão e hiperplasia prostática; e mais um de 81 anos, que tinha doença cardiovascular crônica.

Entre os 19 óbitos, sete foram de mulheres. Três delas, de 67, 73 e 79 anos, não apresentavam comorbidades.

As outra quatro foram: uma mulher de 65 anos, que tinha diabetes; outra de 54 anos, que tinha obesidade; uma mulher de 82 anos, também com diabetes; e outra mulher de 68 anos, que tinha histórico de hipertensão e doença pulmonar.

Do total de 90 óbitos ocorridos no Amazonas, 81 foram de pacientes de Manaus e nove do interior, dos municípios de Manacapuru (3), Parintins (3), Iranduba (1), Manicoré (1) e Novo Airão (1).

Outros 13 óbitos estão em investigação pela FVS-AM.

FOTOS: RODRIGO SANTOS/SECOM

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar