Amazonas registra 1.050 casos do novo coronavírus, e FVS volta a reforçar importância do isolamento social

A Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM) registrou mais 69 casos do novo coronavírus (Covid-19) no balanço deste sábado (11/04), totalizando 1.050 casos no Amazonas. O número total de óbitos no Estado subiu para 53, com a confirmação de mais três mortes por Covid-19, ocorridas entre os dias 8 e 9 de abril.
A diretora-presidente da FVS-AM, Rosemary da Costa Pinto, e o secretário executivo adjunto do Interior da Secretaria de Estado da Saúde (Susam), Cássio Roberto Espírito Santo, reafirmaram que o distanciamento social é a única medida capaz de conter a proliferação do vírus.
Durante a entrevista online neste sábado, havia sido divulgado o número de 68 casos novos, um a menos do que o registrado. Portanto, em Manaus há 932 casos e, no interior, 118. Depois da capital, o maior número de casos está em Manacapuru (64), seguido de Itacoatiara (11), Iranduba (11), Santo Antônio do Içá (7), Parintins (6), São Paulo de Olivença (5), Tonantins (3), Anori (2) e Careiro da Várzea (2). Sete municípios têm um caso cada: Presidente Figueiredo, Tabatinga, Boca do Acre, Manicoré, Novo Airão, Tefé e Careiro Castanho.
O caso que havia sido confirmado no município de Maués passou a integrar os números de casos confirmados da capital, depois que a equipe de investigação da FVS apurou que a contaminação pelo novo coronavírus ocorreu em Manaus, e não no município de origem do paciente.
O mesmo ocorreu com casos confirmados de Tabatinga e Presidente Figueiredo. Os municípios apresentavam dois casos cada um, mas após investigação da FVS, um caso de Tabatinga e um caso de Presidente Figueiredo foram confirmados para Manaus.
Isolamento e internação – Atualmente, há 747 pessoas com diagnóstico positivo para Covid-19 que estão se recuperando em isolamento social.
Do total de casos positivos do novo coronavírus, há 206 internados, sendo 130 em leitos clínicos e 76 em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) da rede pública (42) e da rede privada (34).
Há, ainda, outros 312 pacientes suspeitos internados, que aguardam a confirmação do diagnóstico. Desses, 267 estão em leitos clínicos (91 na rede privada e 176 na rede pública); e 45 estão em UTI (30 na rede privada e 15 na rede pública).
“Hoje temos 220 pacientes aguardando resultado de exame. São as coletas realizadas ontem (10/04), que estão sendo processadas neste momento. Essas coletas têm um tempo hábil de 24 a 48 horas para que sejam processadas pelo Laboratório Central de Saúde Pública no Amazonas (Lacen)”, frisou Rosemary Pinto.
Ao todo, 44 pacientes estão fora do período de transmissão. Diferente do que havia sido divulgado ontem (10/04), as duas pacientes diagnosticadas com o novo coronavírus e que estavam internadas no Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, em Manaus, receberam alta médica, mas ainda estão cumprindo período de isolamento domiciliar. Portanto, ainda se encontram dentro do período de transmissão do vírus.
Distanciamento social – De acordo com Rosemary Pinto, o isolamento social continua sendo fundamental para reduzir a contaminação por coronavírus no estado, embora o Amazonas tenha registrado o terceiro dia consecutivo de queda no número de casos confirmados.
“Nós estamos esperando um expressivo aumento do número de casos para a última quinzena de abril e a primeira quinzena de maio. A projeção vai depender da quantidade de pessoas que continuam circulando. Infelizmente nós fomos para destaque da mídia ontem, onde foi publicado que Manaus é a capital com maior número de não adesão ao isolamento social. Então isso também ajuda a explicar porque hoje nós somos a capital do país com a maior incidência de casos”, ressaltou a diretora-presidente da FVS.
Organização do fluxo – O secretário executivo adjunto do Interior da Secretaria de Estado da Saúde (Susam), Cássio Roberto Espírito Santo, enfatizou que a Susam, em parceria com o Ministério da Saúde, organiza o fluxo nas unidades de saúde de Amazonas seguindo os procedimentos do “Projeto Lean”, que também é executado no Hospital Sírio Libanês, de São Paulo.
“O Delphina ainda está recebendo os pacientes, o que é importante é que a gente organize os fluxos de atendimento. Tem vezes que as unidades já querem encaminhar para o Delphina, principalmente municípiosem ter a confirmação. A gente sempre pede para as unidades que façam a remoção de pacientes ou o encaminhamento de forma responsável. Organizamos o fluxo em três grandes unidades: o HPS 28 de Agosto, o João Lúcio e o Platão Araújo. Essas unidades estão com salas rosas para a segregação de pacientes e enfermarias adequadas e exclusivas para pacientes Covid19”, pontuou Cássio.
O projeto promove melhorias no atendimento hospitalar de urgências e emergências da população que utiliza o sistema público de saúde. É uma filosofia de gestão voltada para melhoria de processos desenhada para assegurar fluxos contínuos. O modelo possibilita a redução de superlotação nas unidades de emergência por meio de sistema de gestão que padroniza processos internos.
Óbitos – Outras três mortes foram confirmadas pela FVS, todas de pacientes de Manaus, totalizando 53 óbitos por coronavírus no estado. Os novos casos são de uma mulher de 70 anos sem comorbidades, que faleceu na quarta-feira (08/04); uma mulher de 68 anos que também não tinha histórico de comorbidades e morreu na quinta-feira (09/04); e um homem de 50 anos que tinha diabetes e também faleceu no dia 9 de abril.
Do total de 53 óbitos, 45 foram de pacientes de Manaus e oito do interior, dos municípios de Manacapuru (3), Parintins (2), Presidente Figueiredo (1), Manicoré (1) e Novo Airão (1).
Nas últimas 24 horas não há mortes confirmadas por Covid-19 no Amazonas. Outros sete óbitos estão em investigação pela FVS, todos ocorridos antes do dia 10/04.
FOTOS: RODRIGO SANTOS/SECOM

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar