Governo e família confirmam segunda morte por coronavirus no Amazonas

O maestro e tecladista Robson de Sousa Lopes, o ‘Binho Lopes’ é a segunda vítima do coronaviris no Amazonas.

Ele estava internado no Hospital Delphina Aziz, desde o dia 21 de março e fazia uso da cloroquina.

A morte do músico foi alimentada pela família e amigos nas redes sociais.

No início da manhã de hoje, (31), o Governo confirmou em nota a morte do músico.

NOTA
Amazonas registra segunda morte pelo novo coronavírus

Um homem de 43 anos de idade, diagnosticado com o novo coronavírus (Covid-19) em Manaus, faleceu na noite de segunda-feira (30/03), por volta das 22h, no Hospital e Pronto-Socorro (HPS) Delphina Aziz, na zona norte da capital.

Ele estava internado desde o dia 20 de março na UTI do HPS Delphina Aziz, onde ingressou sem relato de comorbidade e disse ter tido asma quando criança. Também relatou que sentiu os primeiros sintomas após uma reunião de negócios com pessoas provenientes de São Paulo.

Ele foi internado apresentando grande acometimento pulmonar, com necessidade de manobras para melhorar a ventilação. Apresentou piora no quadro clínico na noite de ontem, não resistiu e veio a óbito.

 

A Secretaria de Estado e Cultura, SEC, também emitiu nota lamentando a morte do música.

NOTA DE PESAR

A Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa lamenta, com profundo pesar, o falecimento do músico Robson de Souza Lopes, conhecido como Binho Lopes, ocorrido na noite desta segunda-feira (30/03). Ele havia sido diagnosticado com o novo coronavírus (Covid-19).

Binho tinha 43 anos, era tecladista da banda Joy, e estava internado desde o dia 21 de março no Hospital e Pronto-Socorro (HPS) Delphina Aziz, na zona norte de Manaus.

Apresentamos as mais sinceras condolências a todos os familiares e amigos.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar