Prefeito anuncia plano de contingência para possível crise econômica resultante do novo coronavírus

Com a estimativa da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (Unctad) de que a pandemia do novo coronavírus deve afetar a economia mundial em US$ 1 trilhão, o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, reuniu sua equipe econômica na tarde desta quinta-feira, 12/3, para traçar metas de enfrentamento a essa possível recessão. Ao mesmo tempo em que se discutiu corte de gastos também se falou de implemento econômico à Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), para reforçar o combate e a prevenção à doença.

Segundo o prefeito, Manaus é uma cidade preparada economicamente, referência em equilíbrio fiscal e em gestão previdenciária, resultante de um forte trabalho de planejamento.  Ele garantiu que a capital amazonense está preparada para realizar todas as obras em andamento e também as anunciadas para este ano, sem temer a nova crise econômica mundial.

“Manaus é a cidade sustentável que é porque planejamos nossas ações, temos metas estabelecidas e executamos tudo aquilo que planejamos. Sempre foi assim durante esses quase oito anos que governo. Temos a cidade organizada, com um programa de obras delineado e que não tem recuo, não corre risco”, afirmou Arthur.

Levando em conta as constantes quedas nas bolsas de valores mundo afora, o prefeito de Manaus determinou que sua equipe econômica elabore um novo planejamento de corte de gastos, o qual chamou de um pesado contingenciamento. Ele fez questão de enfatizar que os cortes nada têm a ver com o pacote de obras da prefeitura e que se trata de um combate à possível ameaça de queda na arrecadação.

“Nós estamos nos precavendo e fazendo a projeção de um grande contingenciamento de receitas no orçamento, que não afetará em nada nossas obras. Essas continuarão de vento em popa, pois o dinheiro está todo preservado e à disposição efetiva da prefeitura. Mas vamos fazer um plano de corte de gastos, mantendo somente o essencial e preservando integralmente as possibilidades da Secretaria de Saúde. Queremos manter uma relação de receita corrente líquida pessoal, que esteja respeitavelmente dentro do que prevê a Lei de Responsabilidade Fiscal”, explicou Virgílio, que deu prazo de uma semana para que sua equipe apresente o planejamento econômico.

Vale destacar que Manaus não possui casos confirmados do Covid-19 e tem reforçado as medidas de controle e prevenção da doença, com campanhas e ações de orientação junto à população, bem como o treinamento dos profissionais que atuam nas unidades de saúde e no atendimento ao público.

O secretário municipal de Finanças e Tecnologia da Informação (Semef), Lourival Litaiff Praia, explicou que será elaborado um estudo para apreciação do prefeito. “Com essa possível estimativa de queda na arrecadação, já estamos analisando todas as despesas da prefeitura, para apresentar uma proposta de contingenciamento, juntamente com um plano de ação que será feito pela Secretaria de Saúde, para a qual serão aportados recursos”, disse.

Texto – Ulysses Marcondes / Semcom

Fotos – Alex Pazuello / Semcom

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar