Vacinação contra sarampo e HPV será intensificada nas unidades básicas de saúde

A partir deste sábado, 14/3, a Prefeitura de Manaus dará início a uma grande mobilização contra o sarampo, com a intensificação da vacina em 40 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) que estarão abertas para receber a população. Como parte da campanha “Março Lilás”, também será reforçada a imunização de crianças e jovens contra o HPV, o Papiloma vírus humano, principal causador do câncer de colo uterino – o primeiro mais recorrente entre as mulheres do Amazonas.

“Temos enfrentado o surgimento e a recorrência de várias doenças na capital e tenho sempre massificado junto à população que essa é uma batalha que precisamos lutar juntos: a Prefeitura de Manaus com ações estratégicas de combate e controle e a população adotando as medidas de prevenção. Por isso, deixo aqui o meu pedido para que todos compareçam aos postos de vacinação e atendam ao chamado da nossa equipe de saúde”, conclama o prefeito Arthur Virgílio Neto.

A intensificação vacinal é uma das principais medidas adotadas pelo município depois da confirmação de quatro novos casos de sarampo registrados na capital amazonense entre janeiro e fevereiro deste ano. Após investigação epidemiológica e laboratorial, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) notificou ao Ministério da Saúde e já traça outras medidas estratégicas para combater o surto da doença. Vale lembrar que a Campanha Nacional contra o Sarampo segue com vacinação, para a faixa etária de cinco a 19 anos, até o dia 13 deste mês e que a vacina fica disponível durante todo o ano nas UBSs da capital.

Segundo o secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi, todas as medidas de controle, monitoramento e bloqueio vacinal foram feitas no momento da notificação de cada caso, reduzindo riscos de transmissão. “Mesmo com as campanhas de vacinação executadas desde 2018 e com a oferta da vacina na rotina de atendimento das UBSs, havia a possibilidade de registro de novos casos no município, já que outros Estados brasileiros continuam notificando a doença e considerando a alta transmissibilidade do vírus do sarampo”, explica Magaldi.

Conforme a Semsa, dos quatro casos confirmados, três estão na faixa etária de 15 a 26 anos e um em uma criança de oito meses de idade, todos do sexo masculino. O paciente de 15 anos é considerado como caso “importado”, já que retornou de viagem da Europa apresentando os sintomas da doença, por isso, é de fundamental importância procurar a imunização e completar o esquema vacinal.

“Entre as quatro pessoas com confirmação para o sarampo, três têm mais de 15 anos e poderiam ter o esquema completo de vacinação contra a doença, já as crianças só podem completar o esquema vacinal aos 15 meses de vida, e antes disso continuam sem proteção total contra a doença”, alerta o secretário da Semsa, acrescentando que com a circulação do novo coronavírus no país é ainda mais importante que as pessoas procurem a imunização contra o sarampo, evitando o risco de infecção combinada das duas doenças.

Os quatro novos casos de sarampo foram notificados nos bairros Monte das Oliveiras (zona Norte), Distrito Industrial 2 (zona Leste), Nova Esperança (zona Oeste) e Presidente Vargas (zona Sul), o que aponta que a circulação atual do vírus do sarampo ocorre de forma dispersa no município e a Semsa prepara intervenções nas áreas do entorno do registro de cada caso.

Intensificação

Além da intensificação vacinal nas unidades de saúde, as equipes de saúde da Prefeitura de Manaus irão realizar monitoramento dos casos e contatos, com avaliação da situação vacinal e busca ativa de pessoas com sintomas da doença. Também será feita a avaliação do percurso rotineiro de cada paciente, ou seja, os locais que costumam frequentar, como mercados ou igrejas, para ações de imunização seletiva.

“Ainda neste sábado, dia 14, no horário de 8h as 12h, a Prefeitura de Manaus disponibilizará 40 salas de vacinas das Unidades Básicas de Saúde, distribuídas em todas as zonas de Manaus, para vacinar a população contra o sarampo. Além disso, todas as medidas para bloqueio da contaminação já estão sendo tomadas e nossa meta é fazer com que Manaus fique livre do sarampo novamente”, afirma a subsecretária de Gestão da Semsa, Adriana Elias, reforçando que a lista com o endereço das salas de vacinação que estarão abertas no sábado, 14, estará disponível nos próximos dias no site da Semsa (https://semsa.manaus.am.gov.br/).

Desde o dia 10/2, a Semsa está realizando Campanha Nacional contra o Sarampo, tendo como público-alvo pessoas na faixa etária de cinco a 19 anos. “Essa etapa da campanha é mais uma das ações que têm sido executadas pela Prefeitura de Manaus para o combate à doença, acompanhando as orientações do Ministério da Saúde, e que será encerrada na próxima sexta-feira, dia 13 de março. Mas a vacina contra o sarampo faz parte do calendário vacinal de rotina e está disponível durante todo o ano nas unidades de Saúde para a faixa etária de seis meses a 49 anos”, reforça a diretora do Departamento de Vigilância Ambiental e Epidemiológica (Deave/Semsa), enfermeira Marinélia Ferreira.

A Semsa mantém o esquema vacinal com uma dose extra da vacina tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba) para crianças aos seis meses de idade, seguindo com o esquema de rotina preconizado pelo Ministério da Saúde com uma dose aos 12 meses de idade, com intervalo mínimo de 30 dias da dose extra, e complementação com a segunda dose a ser realizada com a vacina tetra viral aos 15 meses. “As vacinas estão disponíveis de forma gratuita, em 183 salas de vacina em Manaus. Pessoas até 29 anos sem vacinação devem receber duas doses. Para adultos de 30 a 49 anos sem vacinação, a recomendação é dose única”, informa Marinélia.

Investigação

Atualmente, a Semsa mantém outros dez casos suspeitos de sarampo em investigação. “O surto do sarampo iniciado em 2018 registrou o último caso em janeiro de 2019, mas a Semsa não interrompeu o trabalho de monitoramento e investigação de casos suspeitos. Ano passado foram três casos confirmados em janeiro, mas houve a notificação de mais 116 casos que foram descartados após investigação”, explica a enfermeira.

O sarampo é uma doença infecciosa causada por vírus e a transmissão ocorre de pessoa para pessoa, por via aérea, ao espirrar, falar, respirar ou tossir. Os sintomas principais são: febre acompanhada de tosse, irritação nos olhos, nariz escorrendo ou entupido e mal-estar intenso, além do exantema, que são as manchas vermelhas no corpo. As complicações pelo sarampo incluem cegueira, diarreia grave, encefalite, infecções no ouvido e infecções respiratórias graves, como pneumonia, podendo levar ao óbito.

— — —

Texto – Alita Falcão / Semcom e Eurivânia Galúcio / Semsa

 

Fotos – Arquivo / Semcom

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar